domingo, 30 de setembro de 2012

De repente

De repente
Tudo é tão triste, tão em vão
Toda disponibilidade, todo cuidado,
Toda transparência
Toda doação
Toda dedicação
Todo querer, desejos vão...
De repente
Tudo é tão frágil
Tudo é tão fugaz
Tudo deixado à esmo
Tão triste, tão vão...vazio.

Tudo que tenho pra oferecer
ricocheteá em mim
abrindo um vão, vazio
como se nada valesse a pena
ou a pena fosse maior que a recompensa

Ricocheteá em mim
abrindo um vão, vazio
Preencho a mim mesma
com as incertezas...
com a certeza de que foi em vão.

SEJA UM IDIOTA

EU SOU UMA!

"A idiotice é vital para a felicidade.

Gente chata essa que quer ser séria, profunda e visceral sempre. Putz! A vida já é um caos, por que fazermos dela, ainda por cima, um tratado? Deixe a seriedade para as horas em que ela é inevitável: mortes, separações, dores e afins.

No dia-a-dia, pelo amor de Deus, seja idiota! Ria dos próprios defeitos. E de quem acha defeitos em você. Ign
ore o que o boçal do seu chefe disse. Pense assim: quem tem que carregar aquela cara feia, todos os dias, inseparavelmente, é ele. Pobre dele.

Milhares de casamentos acabaram-se não pela falta de amor, dinheiro, sexo, sincronia, mas pela ausência de idiotice. Trate seu amor como seu melhor amigo, e pronto.

Quem disse que é bom dividirmos a vida com alguém que tem conselho pra tudo,soluções sensatas, mas não consegue rir quando tropeça?

hahahahahahahahaha!...

Alguém que sabe resolver uma crise familiar, mas não tem a menor idéia de como preencher as horas livres de um fim de semana? Quanto tempo faz que você não vai ao cinema?

É bem comum gente que fica perdida quando se acabam os problemas. E daí,o que elas farão se já não têm por que se desesperar?

Desaprenderam a brincar. Eu não quero alguém assim comigo. Você quer? Espero que não.

Tudo que é mais difícil é mais gostoso, mas... a realidade já é dura; piora se for densa.

Dura, densa, e bem ruim.

Brincar é legal. Entendeu?

Esqueça o que te falaram sobre ser adulto, tudo aquilo de não brincar com comida, não falar besteira, não ser imaturo, não chorar, não andar descalço,não tomar chuva.

Pule corda!

Adultos podem (e devem) contar piadas, passear no parque, rir alto e lamber a tampa do iogurte.

Ser adulto não é perder os prazeres da vida - e esse é o único "não" realmente aceitável.

Teste a teoria. Uma semaninha, para começar.

Veja e sinta as coisas como se elas fossem o que realmente são:
passageiras. Acorde de manhã e decida entre duas coisas: ficar de mau humor e transmitir isso adiante ou sorrir...

Bom mesmo é ter problema na cabeça, sorriso na boca e paz no coração!

Aliás, entregue os problemas nas mãos de Deus e que tal um cafezinho gostoso agora?

A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso cante, chore,dance e viva intensamente antes que a cortina se feche!"

Ser LIVRE


 Meu lugar preferido: eu ser livre! JackL

Perguntais- me como me tornei louco. Aconteceu assim: Um dia, muito tempo antes de muitos deuses terem nascido, despertei de um sono profundo e notei que todas as minhas máscaras tinham sido roubadas - as sete máscaras que eu havia confeccionado e usado em sete vidas - e corri sem máscara pelas ruas cheias de gente, gritando: " Ladrões, ladrões, malditos ladrões!"
Homens e mulheres riram de mim e alguns correram para casa, com medo de mim. E quando cheguei à praça do mercado, um garoto trepado no telhado de uma casa gritou: "É um louco!". Olhei para cima, para vê-lo. O sol beijou pela primeira vez minha face nua.
Pela primeira vez, o sol beijava minha face nua, e minha alma inflamou-se de amor pelo sol, e não desejei mais minhas máscaras. E, como num transe, gritei: "Benditos, benditos os ladrões que roubaram minhas máscaras!" Assim me tornei louco.
E encontrei tanto liberdade como segurança em minha loucura: a liberdade da solidão e a segurança de não ser compreendido, pois aqueles que nos compreendem escraviza alguma coisa em nós.
"Gibran Khalil Gibran"
PERCA SUAS MÁSCARAS, PERMITA QUE O SOL BEIJE SUA FACE, COMETA A" LOUCURA" DE REALIZAR QUEM VOCÊ É, PERMITA-SE A LIBERDADE E NÃO SE MANTENHA CATIVO DAQUILO OU DAQUELES QUE NÃO LHE PERMITE SER QUEM VOCÊ É - LIVRE, LOUCO, AMADO...SIM, AMO VOCÊ ASSIM, SEM MÁSCARAS, SEM LHE COMPREENDER, MAS ADMIRANDO TODO, BEIJO SUA FACE E FASES.

Tempo

_Quanto tempo é para sempre? _ Às vezes é só segundo!

_ Quanto tempo é um instante? _ Às vezes é para sempre!

JL

À margem

Põe-te à margem! Contempla, lentamente, verás que não há escolha. Põe-te à margem! 
Há em meio a milhões alguém que lhe queira, companhia fiel, mas conjecturas aquele que não a vê, 
que não tem interesse em ser. Põe-te à margem!
 JL




Vai! Que não fique em minh'alma nem um traço. Nem um vestígio teu!

sábado, 29 de setembro de 2012

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

O que tem os elevadores?


Chega o elevador e entramos. Estamos sozinhos. De repente, por alguma inexplicável razão, provavelmente por estar tão perto em um lugar tão reduzido, a atmosfera entre nós muda e se carrega de elétrica e excitante antecipação. Acelera-me a respiração e o coração dispara. Ele olha um pouco para mim, com olhos totalmente impenetráveis. Olha-me o lábio.
— Merda a papelada. Encosta-se em mim e me empurra contra a parede do elevador. Antes que me dê conta, me sujeita os dois pulsos com uma mão, levanta-os acima da minha cabeça e me imobiliza contra a parede com os quadris. Minha mãe. Com a outra mão me agarra pelo cabelo, puxa-o para baixo para me levantar o rosto e cola seus lábios aos meus. Quase me faz mal. Gemo o que lhe permite aproveitar a ocasião para colocar a língua e me percorrer a boca com perita perícia. Nunca me beijaram assim. Minha língua acaricia timidamente a sua e se une a uma lenta e erótica dança de sensações, de sacudidas e empurradas. Levanta a mão e me agarra a mandíbula para que não me mova. Estou indefesa, com as mãos unidas acima da cabeça, o rosto preso e seus quadris me imobilizando.
Sinto sua ereção contra meu ventre. Meu deus... Deseja-me, deseja-me, e eu o desejo, aqui... Agora, no elevador.
— É... tão... doce, — ele murmura entrecortadamente.

O elevador se detém, abre-se a porta, e em um abrir e fechar de olhos me solta e se separa de mim. Três homens trajados de ternos nos olham e entram sorridentes. Pulsa-me o coração a toda pressa. Sinto-me como se tivesse subido correndo por um grande morro. Quero me inclinar e me sujeitar às risadas, mas seria muito óbvio.
Eu o olho. Parece absolutamente tranquilo, como se tivesse estado fazendo palavras cruzadas do Seattle Time. Que injusto. Não o afeta o mínimo a minha presença? Olha-me de esguelha e deixa escapar um ligeiro suspiro. Valeu, afeta-o, e a pequena deusa que levo dentro de mim, sacode os quadris e dança um SAMBA para celebrar a vitória. Os homens de negócios descem no primeiro andar.
— Você escovou os dentes — ele fala me olhando fixamente.
— Usei sua escova.
Seus lábios esboçam um meio sorriso.
— Ai, Ana,  o que vou fazer contigo?
As portas se abrem no vestíbulo, agarra-me a mão e sai comigo.
— O que terão os elevadores? — ele murmura para si mesmo.

EM

"Cinquenta tons de cinza"

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Perigo

"As damas sabem contra o que devem se proteger, porque há romances que contam sobre esses truques.”

Tess of the D´Urbervilles

Visão - ilusão de ótica

Eu tenho a visão de mim mesma como Ícarus, voando perto demais do sol, queimando e caindo como resultado do meu desejo.

A mentira e a verdade diante de mim, justapostas, como células formando um tecido emaranhado e confuso em minha mente. Eu pressentia, mas não admitia...
A mentira escapou, olhou com deboche para tudo que eu idealizei, zombando da minha doce ilusão de que seríamos um para o outro, e ou um pelo outro.

Um cheiro inebriante, da poeira da rua se mistura com o cheiro ofegante da minha angustia. Eu não sei  o que estou fazendo aqui. Talvez, se ainda pudesse optar, eu iria querer a mentira, aquela que me acompanhou por diversas noites em meu quarto, como um anjo...Tento entrar de volta no carro, mas... Eu eu fico olhando ele partir com outra.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Alguém pra ninguém

Pensei em ser aquela amiga de infância que ajudava a juntar os brinquedos e colocar na caixa. Com o tempo as peças do quebra-cabeça foram sumindo, as bonecas perderam os braços, as roupas, os carrinhos as rodas e a caixa de brinquedo se desfez na enchente de 79.
Então pensei em ser a irmã do meio, a mais velha por necessidade e cuidei da casa, das roupas, das samambaias, da comida, do padrasto, dos irmãos. E os irmãos se foram, casados, emigraram, um morreu (igual aquela novela eramos seis). Daí pensei em ser namorada, fui mãe, antes mesmo de saber se seria esposa, sem me dar conta, de um, depois outro, meninos...Estudante, esposa, mãe, menos namorada, tampouco amante. Logo pensei: serei profissional formada, pós graduada, respeitada, acabei virando divorciada, nem fui namorada, tampouco amante. Sozinha, mãe, estudante, trabalhadora, guerreira, filha mais velha, já bem mais velha, órfã de pai, de padrasto, de irmãos, de esposo, e nem fui namorada, nem tampouco amante. Fui logo ser só mãe. Agora bem mais velha, mãe, guerreira, solitária tentando ser ...ser namorada, ser amante, que importa a  idade? Talvez eu deva mesmo tentar ser a melhor amiga, companheira, cúmplice, ajudadora, motivadora, cuidadora de alguém que queria ser alguém na vida de alguém e que precise de alguém, e não encontro ninguém...me enamoro do meu desejo vão, eterna namorada, amante de ninguém.
JL

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Toque

Basta um toque breve, e uma corrente atravessa por mim como se eu tivesse tocado um fio exposto.
Eu ofego involuntariamente, essa corrente percorre todo meu corpo até em algum lugar escuro e inexplorado, no fundo de minha barriga. Desesperadamente, eu tento volta o meu equilíbrio.
EM
"Cinquenta tons de cinza"      
Mas preciso  mais...

Sinopse...


Quando Ela entrevista o empresário, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Não muito Ingênua e nem inocente, Ela se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva dele, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente dela, ele admite que também a deseja — mas em seus próprios termos.
Chocada e ao mesmo tempo seduzida pelas estranhas preferências dele, ela hesita. Por trás da fachada de sucesso — os negócios, a  fortuna, a amada família —, Ele é um homem atormentado por demônios do passado e consumido pela necessidade de controle. Quando eles embarcam num apaixonado e sensual caso de amor, ela não só descobre mais sobre seus próprios desejos, como também sobre os segredos obscuros que ele tenta manter escondidos…

"Cinquenta tons de cinza"

Maré

E não é o movimento das águas que nos dizem da condição do mar? Para o descanso, o sossego, o aconchego, o ideal é a maré baixa, tranquila, mas para que haja mudanças precisamos da preamar, da ressaca, de nos virar sobre nos mesmos, e nos mantermos determinados diante das rajadas de vento, das rápidas e violentas mudanças "climáticas"...bem certo que podemos sofrer consequência pela "arrebentação", mas ao final descobriremos que o barco tomou novo rumo e lá adiante, no horizonte, estarão novas possibilidades, a vitória iminente. Um céu de brigadeiro! Afinal "Caranguejo que dorme a maré o leva." Então o melhor é manter os olhos bem abertos e aproveitar o MOVI-(MO)-MENTO!

JL


"Os únicos presentes do mar são golpes vigorosos e, ocasionalmente, a chance de sentir-se forte. Eu não compreendo muito o mar mas sei que as coisas são assim por aqui. E também sei como é importante na vida não necessariamente ser forte, mas sentir-se forte, confrontar-se ao menos uma vez, achar-se ao menos uma vez na mais antiga das condições humanas, enfrentar a pedra surda e cega a sós, sem outra ajuda além das próprias mãos e da cabeça."

                                                                                          Do filme: Na Natureza Selvagem.

domingo, 23 de setembro de 2012

Recomeço

Quando penso que estou indo, estou é recuando...então um recomeço ou que preguiça! Melhor seria me acomodar. Tudo tão previsível, intuição que nada: banalizo, até me dou por surpresa e choro por não dar ouvido aos sinais. Tudo tão claro! Claro que quem tem culhões, faz ..."quem sabe faz a hora, não espera acontecer."

JL

La crème de la crème

Sabe a cereja do bolo? Ela, uma mulher, guerreira, de delicadas maneiras, dona de uma jovialidade e intensidade que surpreende. Sentimental sim e pode sempre mais, sexual sem ser vulgar, intuitiva e nada óbvia. Açucarada (pra amar) e ácida (pra se defender). Não é que, às vezes, é preciso endurecer sem perder a sensibilidade?  Aquela fina flor, à flor da pele. Um segredo, assim tão transparente.

De repente


E se de repente você descobrisse que sua obsessão de que desejo deve ser realizado em seu tempo, cada palavra em seu estilo, pode não ser pelo mérito de uma mente em ordem, mas, pelo contrário, por todo um sistema de simulação inventado para ocultar a desordem natural do seu ser? Seria sua disciplina por virtude, ou uma reação contra sua negligência? Não seria generoso para encobrir a mesquinhez? Não se faria passar por prudente quando na verdade é desconfiado e sempre pensa o pior (dos outros)? Não seria conciliador para não sucumbir as cóleras reprimidas? Não seria pontual para que ninguém saiba como pouco se importa com o tempo alheio? Não se passa por simples para ocultar o quanto abomina o simplório? Será que não considera, enfim, que o amor não é um estado da alma, que merece comprometimento e cuidado, e sim um signo do zodíaco ou um jogo no qual blefar é seguro e nunca se deve entregar o ouro? Qual seria sua reação se todas estas hipóteses caíssem como verdades absolutas sobre seu colo e não mais tivesse tempo de admitir sua fragilidade, de realizar seus desejos? Manteria o curso do barco, mesmo com o remo quebrado, os ventos contrário e a maré agitada? Ou compartilharia uma vida, sem sombras, com alguém que realmente lhe valoriza? Seria capaz de reconhecer no outro o dom de lhe amar como realmente és? E assim amar também?... 

JL

Virtudes

As virtudes não são espetáculos, lhe importam os aplausos? 

sábado, 22 de setembro de 2012

Me desperdiço

De quando em quando
me doo:
ato falho
De quando em quando
recordo:
o real valor 
está na escassez
De quando em quando
percebo:
aqueles que negam 
são reconhecidos; honrados. 
Me desperdiço...

Real

As pessoas estão tão envolvidas (digo até comprometidas) com redes sociais que se limitam e se delimitam por elas. Quando um amigo adoece, relata dor, pouco ou nada encontra de empatia, raramente ouve a pergunta que tanto conforta e demonstra carinho: "você melhorou"? Quando perde um ente querido basta escrever em um mural "meus sentimentos"? Quando faz aniversário basta escrever no mesmo mural "p
arabéns"? Onde esta o calor HUMANO? Os braços perderam a função do abraço, atrofiaram pelo desuso ou uso excessivo dos dedos no teclado? Passa-se mal, perde-se entes queridos, comemora-se vitórias, há sofrimento por derrotas e perdas e tudo é cortejado, aclamado, "sentido" por meras palavras digitadas a esmo num mural branco que às vezes recebe reações de um "dedinho" voltado para o céu que deveria ser enfiado na consciência de cada um para percebermos o quanto estamos atrofiando nossa habilidade de relacionamento HUMANO, o quanto estamos perdendo tempo e amores, por não nos deixamos envolver com o outro pelo espaço real de um tempo físico e químico. Cada vez mais frios, apáticos, solitários...Nosso ego precisa de massagem e nossa mente se confunde quando recebemos um abraço, não sabemos mais distinguir. A carência é tanta que aborrece e emburrece a mente. Basta um bom dia, boa tarde, boa noite, aqui? A mim não, eu quero um abraço, quero que me perguntem, de preferencia pessoalmente, se eu melhorei de saúde...Ou não faz nenhum sentindo viver nesta terrinha. Enquanto isso volto meu dedinho para o céu orando a Deus que "os meus" se sinto amados realmente, que amor real não me falte e que meus braços não se encontrem vazios de abraços. 
JL

O simples que busco não suporta o jogo, articulações, artimanhas...o simples que busco de tão simples parece banal, porém é claro e objetivo. Simples assim: SER mais que ter e viver, rir, sorrir, brincar, cuidar, amar...simples assim, sem muita carga, mas com muito envolvimento. Tudo no plural, nós somos muito mais que "eu" , que ego. O singular não tem energia, por isso não me interessa. 
JL 

Antifaz

"Desde hace tiempo te espero, no sé bien quién seas, pero tengo indicios de tu personalidad, hoy puede ser un buen día para quitarte ese antifaz que nos permita encontrarnos cara a cara... ven permíteme descubrirte!"
Desde hace tiempo te espero, no sé bien quién seas, pero tengo indicios de tu personalidad, hoy puede ser un buen día para quitarte ese antifaz que nos permita encontrarnos cara a cara... ven permíteme descubrirte!

Primavera

Que esta Primavera Austral exale aromas, essências, flores, amores e toda sorte de bênçãos. JL

terça-feira, 18 de setembro de 2012

AFAGO

Um afago no cabelo
A empatia pela minha dor
Um momento de calor (humano)
Um bom dia talvez, por amor
Que fosse por hábito
Por mudança de hábito
Por rotina...que fosse...
Tudo o que precisei hoje
Mas é tão pouco

JL

Amarelinha


Amarelinha é um jogo que tem num extremo um retângulo com o Céu, no outro o Inferno e entre eles, dez quadrados justapostos enfileirados, formando um caminho. No chão da rua riscado a giz, uma pedra tem que ser transportada pelos quadrados, em diferentes níveis de dificuldade, e quase sempre usando um pé só. É preciso ter muito equilíbrio para, a cada lance, não cair e assim não ter que
 retornar ao inferno e recomeçar o jogo do zero.
Poderia ser considerado um jogo meio idiota, mas não é: no mesmo sentido em que exige alguma habilidade física para pular e não cair, reproduz um sentido de que tudo na vida pode mudar repentinamente, dependendo da pedra que se carrega e como ela é recolhida. E nada lhe assegura o fato de que você, em algum momento, mesmo próximo do céu, não tenha que novamente recomeçar tudo de novo. E lá de trás, do inferno.
Eu e as meninas do meu bairro, sempre jogávamos amarelinha. Na realidade continuamos o jogo pela vida e sempre haverá alguém, das mesmas cercanias ou não, que às vezes se unirá a nós para jogar ou para atrapalhar o jogo. “Vida...e a vida o que é meu irmão ?...”.
...(ao fim) Talvez porque a gente muda a vida da gente para ter gente na nossa vida, pensando que a gente gosta, ou achando que essa gente gosta, quer ou precisa da gente. A gente vai se equilibrando, num mundo amarelinho de giz e faz de conta, no tosco quadrado que nos abriga, mantendo a esperança capenga de que algo afinal acontecerá pela sorte do mérito, e nos remeterá a conquista de um céu qualquer esperado. Aquele Paraíso de verdade e definitivo, onde a gente viva com quem AME e mesmo e MUITO a gente. Integralmente.
O que fará toda a diferença do mundo, entre ser feliz ou estar contente.

QdG

Apelos

Que teus (meus) apelos não caiam em ouvidos surdos e nem tampouco em ouvidos de ninguém ...

Asno...

Perca tudo, mas não perca de si mesmo

“Um asno certa vez perdeu o rabo num acidente e, muito aflito com isso, procurava-o por toda a parte achando que poderia colocá-lo novamente no lugar. Ele atravessou um campo e entrou num jardim. O jardineiro, ao vê-lo, irritado com o estrago que ele fazia pisando as suas plantas, correu até o asno e sem mais cerimônias cortou-lhe as duas orelhas e o encheu de pancadas. Assim, o asno, que lamentava a perda do rabo, ficou ainda mais aflito quando se viu sem as orelhas.” (Fábulas. PILPAY, India, Século IV)

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

O Presente

é agora


Viver de acordo com o agora, o presente.
Tudo deve ser feito no momento oportuno. Que amanhã não será mais.
Queira quando pode, porque o tempo e a oportunidade não esperam ninguém.
Viver segundo as regras fixas, vale quando se  trata de agir com virtude, mas pedir
aos desejos que siga leis precisas ou regras é tolice, pois "amanhã terá de beber da água
que desprezou hoje". É sábio adaptar as manias às circunstâncias.  "Os sensatos sabem que o rumo da prudência está em se portar de acordo com a ocasião."

Ser justo

Ser justo, raro, porém único.

Revise a própria opinião, ponha-se do outro lado e analise os motivos do ponto de vista do outro. 
Dessa forma, você nem o condenará, nem se justificará às cegas. 




                                                                   Gianluca Mantovani

Nem tudo mau, nem tudo bom.

"Nem tudo mau, nem tudo bom.
Um certo sábio reduziu toda a sabedoria ao caminho do meio. Levar o certo
longe de mais e ele se torna errado. A laranja espremida ao máximo dá só
amargor. Mesmo no prazer não devemos ir a extremos. A própria inteligência
se esgota se exigida demais, e se ordenhamos uma vaca em excesso teremos
sangue por leite."
O livro todo de presente: A ARTE DA PRUDÊNCIA
BALTASAR GRACIAN
http://xa.yimg.com/kq/groups/19212570/287864062/name/Gracian%252BArte%252Bda%252BPrud%2525C3%2525AAncia.pdf

Nascer na época certa.


20. Nascer na época certa.
Os sujeitos de qualidades extraordinárias dependem do tempo em que
vivemos. Nem todos tiveram a época que mereciam, e muitos que tiveram não
souberam aproveitá-la. Alguns mereceram tempos melhores, pois nem tudo o
que é bom triunfa sempre. Todas as coisas têm suas estações, até os valores
estão sujeitos à moda. Mas o sábio tem uma vantagem: é eterno. Se este não
é seu século, muitos outros serão.


A ARTE DA PRUDÊNCIA
BALTASAR GRACIAN

O livro de presente: http://xa.yimg.com/kq/groups/19212570/287864062/name/Gracian%252BArte%252Bda%252BPrud%2525C3%2525AAncia.pdf

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Ao acaso

Abre aspas: Por que eu estou deixando ao acaso? Não preciso esperar, posso buscar...Estive pensando no quanto eu estar bem afetivamente é importante. Quero CUIDAR desta parte da vida assim como venho cuidando das outras, OU ATÉ MAIS. Sinto muito a falta de um amor presente, da cumplicidade, do ser e estar junto, do andar de mãos dadas...Por que me descuidei, eu estava no caminho, por que me desviei? Por que não continuo a busca? Não quero deixar ao acaso minha vontade de ser e ter uma companhia, quero viver, vivenciar um relação e tudo que a permeia, ainda nesta fase, presente. O tempo é este, tempo de viver junto e não de esperar. Fecha aspas.

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Insistência

A insistência realmente é algo muito chato, melindroso, angustiante, tedioso, chega um momento que dá preguiça. Por isso a natureza é tão perfeita, tudo nela ocorre de forma natural, harmônica, flui simplesmente porque o universo quer, todos querem o mesmo, ninguém precisa insistir, implorar...harmônia - fora isso não há sucesso em nada.

Jogo

Sei jogar poker
sei e gosto
jogo
arrisco tudo
all in
adrenalina
perco, ganho
aposto
sei blefar
saiu do jogo
volto
Mas amor? 
Amor não é jogo
ninguém perde ou ganha
doa, compartilha, vivencia
emociona-se 
há gozo sim
há entrega
blefar pra que?
É amor...
Se amor for um jogo, não sei as regras,
não quero aprender,
não sei jogar
não entro porque já sei:
vou perder.
Perder amor pra quê?

INTER -ESSE

Interesse? Tenho sim!
No que é comigo
No que for pra mim
No nosso

JL

Tempo do tempo

Quanto tempo é pra sempre?
Às vezes só um segundo.


Preciso


Preciso de um amor – sem dor
Invasor
Domador
Protetor
Sonhador
O Amor
Dor de fazer amor – sem dor
Dor de gozo - alívio
Amor

JL

Te Valorizo


Ausente


Este ser presente que vos fala -
quando a presença é um desejo velado
e tudo insiste em ser ausência - adeus.
Liberta-te da ausência sendo ausente.

JL

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Basta

Chega destas coisas de coração,
chega deste sentimentalismo,
pieguice, romantismo tosco,
Chega de perseguir a outra mão,
de querer mãos dadas,
corpos colados,
respiração ofegante antes do sono profundo.

Sonhos frustrados.
o que lhe ensinaram menina?
Há mesmo amor na vida,
há paixão?
Há destinos traçados,
o que não acontece por acaso?

Pobre menina,
lhe contaram histórias forjadas
e você acreditou?
Não há final feliz
pare de procurar.


Agrado

Nos esforçamos para agradar a tandos, por vezes até conseguimos agrada alguns.
Mas por que é tão difícil agradar a quem amamos, com quem nos preocupamos, quem nos importa?
Talvez esses não carecem do nosso agrado, e nós que carecemos daquilo que tentamos ofertar aos outros.


Graça

...faço por amor, mas bem sei que amor precisa ser incondicional. A Tua graça me basta Senhor, e o que penso faltar é apenas por minha ótica humana (e sendo humana há falhas) porque nada que penso me faltar é necessário ou o Senhor me daria. JL

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Paz, leveza: conhecimento; ética; sabedoria...

De que nos vale o conhecimento sem a ética? De que nos vale conhecimento sem sabedoria? O mesmo não poderíamos perguntar sobre a sabedoria, pois ela só se manifesta quando aplicamos nossos conhecimentos com ética.

Tudo me leva a crê que um grande sábio aplica seus conhecimentos com ética em todas as áreas de sua vida, o que não ocorre com muitos (qu
ando digo muitos me incluo).
Ex: um homem pode se destacar na sua profissão, ser comprometido com sua equipe de trabalho, porém não organiza a vida familiar, não tem tempo para a convivência com os filhos, esposa, pais ... Outro ex: um mulher, pode ser extremamente dedicada à família, zelosa, amorosa, porém não se preocupa com seu bem estar e saúde...os dois casos certamente não terão finais felizes, ambos trarão consequências pelo descuido.

Escrevo porque acabo de ler um livro que recomendo a todos: QUAL E A TUA OBRA? - INQUIETAÇOES PROPOSITIVAS SOBRE GESTAO, LIDERANÇA E ÉTICA
MARIO SERGIO CORTELLA

Daí minha conclusão (fácil e óbvia, porém pouco aplicada) - devemos aplicar nossos conhecimento com ética em todas as áreas de nossa vida e isto seria fácil se nos fizéssemos sempre as perguntas: QUERO? DEVO? POSSO? (o que me remete àquela famosa frase: "querer é poder" - nem sempre "querer é poder" se considerarmos a pergunta acima.

Ex: na empresa que trabalho tem um celular que fica a disposição para fazermos ligações para os clientes. Seria ético eu usá-lo para fazer ligações pessoais? Então a pergunta: QUERO? Sim; POSSO? Sim (partindo do princípio de que o celular fica a disposição); DEVO? não - não seria correto usá-lo para fiz pessoais.

Outros exemplos virão à cabeça de quem estiver lendo e vale ressaltar novamente que estes exemplos podem ser encontrados em todas as áreas de nossa vida.

Onde quero chegar: se temos conhecimentos por que protelamos em aplicá-los efetivamente e com ética, pra tudo? Por que escolhemos o sofrimento, as derrotas, as frustrações, dissabores ...? A resposta é clara e me cabe como uma luva: porque apenas falamos de ética quando julgamos o comportamento alheio, porque não consideramos que o caminho para sabedoria é isso: conhecimento aplicado com ética (torno a dizer: pra tudo!).

Então, as perguntas: QUERO? DEVO? POSSO?

E a reposta certamente (se de forma honesta e justa) trará aquilo que busco incessantemente: Paz, leveza!
JackL

Penso que partindo deste principio a minha OBRA será digna de bençãos e honras. 
 ‎"se a gente pode e a gente quer, a gente deve." - "conheço muitos que não puderam quando deviam pq não quiseram qdo podiam."

domingo, 2 de setembro de 2012

Ser grato



"A gratidão é a mais agradável das virtudes; não é, no entanto, a mais fácil.


A ingratidão não é incapacidade de receber, mas incapacidade de
retribuir – sob a forma de alegria, sob a forma de amor


Digamos apenas que a gratidão é levada a agir, por sua vez, em favor de quem a suscita, não decerto
para trocar um obséquio por outro (não seria mais gratidão, e sim troca), mas porque o amor
quer dar alegria a quem o alegra, com o que a gratidão nutre a generosidade, quase sempre,
que nutre a gratidão. Daí um “amor recíproco”, como diz Spinoza, e um “zelo de amor”, que
caracterizam também a gratidão: “O reconhecimento ou gratidão é o desejo ou o zelo de amor
pelo qual nos esforçamos em fazer o bem àquele que o fez a nós, em virtude de um
sentimento semelhante de amor por nós.”



A morte só nos privará do futuro, que não é. A gratidão liberta-nos
dele, pelo saber alegre do que foi. O reconhecimento é um conhecimento (ao passo que a
esperança nada mais é que uma imaginação); é por aí que ela alcança a verdade, que é eterna,
e a habita. Gratidão: desfrutar eternidade."


Pequeno Tratado das Grandes Virtudes
André Comte-Sponville



(gratidão motiva alegria ...e o que há de melhor que alegria?)


sábado, 1 de setembro de 2012

I will do my bast

I will do my bast !!!


Arte

''A arte diz o indizível; exprime o inexprimível, traduz o intraduzível.''
Leonardo da Vinci
 
Fatigada de Eliseu Visconti


Reescrevendo Setembro


A cada setembro olho-me no espelho,

e ali do outro lado que tenta me refletir

Vejo a imagem de minhas “outras faces”

Que antes já estiveram aqui,

que certamente se perguntaram

Como seria o “por vir”

Eu teria adorado se pudesse saltar dentro

E reviver um pouco delas

Tendo as resposta do que é o tempo

Lanço agora, este mesmo olhar

No espelho deste Setembro

Porém deixo um desafio, um desejo velado

De que ainda me venham muitos, muitos setembros

Mas que eu possa ver neles apenas o frescor da primavera

Que se renova a cada ano

E não os sulcos de uma vida floreada de enganos.

JACKL

REVELAÇÃO

"Para que as coisas se revelam para nós, precisamos estar 

dispostos a abandonar nossas opiniões sobre elas."